04/08/2019

[Resenha] Doutor Sono



Ficha técnica:

Doutor Sono
Autor: Stephen King
Ano de publicação: 2014
Nº de páginas: 480

O Iluminado é um dos maiores clássicos da literatura de terror, e sua adaptação, com Jack Nicholson eternizado no papel de Jack Torrance, também é muito bem lembrado (por mais que Stephen King não goste tanto da adaptação de Stanley Kubrick). Durante muito tempo, os fãs se perguntaram o que teria acontecido ao pequeno Danny Torrance, filho de Jack.

Durante o lançamento de Saco de Ossos, em 1998, um fã perguntou à King o que teria acontecido com Danny Torrance, e a questão nunca mais saiu da mente do autor. Mesmo que ele cogitasse algo do tipo, não era algo fácil de ser resolvido, afinal, era uma possível continuação de O Iluminado. Fazer uma continuação de algo tão bom é uma faca de dois gumes: pode ser tão boa quanto a original ou um verdadeiro fiasco.

Foi então que o autor começou a escrever Doutor Sono e, cá entre nós, ainda bem que ele fez isso.

Confira a resenha de O Iluminado.
A história de Doutor Sono se passa mais de trinta anos depois dos eventos de O Iluminado. Nas primeiras páginas do livro, descobrimos o que aconteceu com Wendy e Danny depois que eles deixaram o Overlook. Infelizmente, com o tempo, Dan acabou adquirindo os mesmos problemas com álcool que seu pai tinha. Tentando se livrar do alcoolismo, ele se muda para New Hampshire e começa a trabalhar numa casa de repousos. Seu dom da iluminação ainda está lá, e ele o usa para dar um último conforto para os pacientes, antes que esses deem seu último suspiro de vida, e faz isso com a companhia de Azzie, um gato que consegue prever a morte das pessoas.

Dan acaba conhecendo Abra Stone, uma garotinha com uma iluminação gigantesca, a mais poderosa que ele já viu. Ele está ligado à Abra, e precisa protegê-la. Lá fora, está o Verdadeiro Nó, um grupo de esquisitões que roda os Estados Unidos procurando por crianças iluminadas, para sugar seu poder, até que não haja mais vidas em seus corpinhos. Se eles alcançarem Abra, tudo estará perdido.



O segundo livro, que funciona como uma sequência espiritual de O Iluminado, não deixa nada a desejar à história original. Mesmo com a adição de vários personagens, você não fica perdido. Dan é um homem de meia-idade, mas os eventos do Overlook nunca deixaram as memórias do garoto, e ele precisou aprender a conviver com isso, dia após dia. O livro também é narrado por Abra, uma garota na pré-adolescência, que não sabe a extensão da sua iluminação; o livro também é narrado pelos integrantes do Verdadeiro Nó, e podemos ver de perto as atrocidades e motivações desses personagens estranhos.

King não se perde na narração da história, mesmo que algumas partes sejam mais lentas que outras, mas isso não é o suficiente para largarmos o livro. Pelo contrário. Cada personagem é desenvolvido com maestria. Nós nos importamos com eles, e queremos saber qual o desfecho disso tudo, seja para Dan e Abra ou para o Verdadeiro Nó. Os personagens secundários não deixam a desejar, principalmente os pais de Abra que, no fim, acabam tendo um papel muito importante para o clímax da história. Assuntos como violência e alcoolismo também foram bem representados.



Doutor Sono é uma ótima continuação de O Iluminado, mesmo tendo uma dose muito menor de horror do que seu antecessor, o que não é necessariamente uma coisa ruim. A mitologia das pessoas iluminadas foi muito bem expandida. Foi interessante (e triste) ver como Dan acabou adquirindo o mesmo vício do pai, mas diferente do mesmo, ele procurou ajuda, e estava sempre disposto a usar sua iluminação para fazer o bem. No final, foi exatamente o que ele conseguiu fazer.

Lembrando que Doutor Sono será adaptado para os cinemas, chegando nas telonas em novembro desse ano.

E você? Já leu o livro? O que achou?

Nota:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos no Instagram @dicasdojess