31/01/2019

[Resenha] Céu Sem Estrelas


Ficha técnica:

Céu Sem Estrelas
Autora: Iris Figueiredo
Ano de publicação: 2018
Nº de páginas: 360

Provavelmente o livro que mais mexeu comigo nos últimos tempos.

A vida de Cecília não é das mais fáceis. Muito pelo contrário. A faculdade de desenho industrial talvez não seja aquilo que ela ama fazer. O relacionamento com sua mãe não é dos melhores. Ela não faz ideia de quem seja seu pai e, se pudesse, gastaria seu réu primário socando a cara de seu padrasto.

Está ruim, mas pode piorar. Perdeu o emprego, não sabe como contar para a mãe, tem uma queda pelo irmão da melhor amiga e sente-se invisível e insegura, por estar acima do peso.
A narrativa alterna entre Cecília e Bernardo, o irmão de Iasmin (melhor amiga de Cecília). É interessante ver o relacionamento deles nascendo pouco a pouco, sem forçar a barra. É um casal que você não dá muito crédito mas, depois que conhece, passa a shippar, com todos os acertos e erros.

Enquanto Bernardo e Iasmin possuem uma ótima vida financeira, Cecília é um turbilhão de acontecimentos ruins. Por mais que ela se esforce, nem tudo dá certo em sua vida, e isso ferra ainda mais com o psicológico da protagonista.


Mas nem só de problemas a vida é feita. Todo mundo tem uma luz no fim do túnel. Além de Bernardo (que acaba fazendo caquinha na história), Cecília também tem sua avó e suas amigas. Pessoas que realmente se importam com quem ela é. A história é fluída, e você simplesmente não consegue parar de ler. Logo eu, que não sou fã de romances, devorei o livro em 24 horas!

A diagramação está impecável e, em algumas cenas, há até mesmo prints de conversas e posts em redes sociais! Sem contar também com as várias referências a livros e autores. Além de fofo e divertido, o livro também nos passa uma mensagem muito importante sobre nossos medos e inseguranças. Infelizmente, a vida de Cecília é a realidade de muitos jovens e, durante um tempo, foi a minha também. Algumas pessoas sentem-se inferiores devido ao seu peso, seja ela gorda ou magra (o meu caso). Não é fácil lidar com a solidão, com a sociedade e com o bullying. Sério, galera. Piadas sobre o peso de alguém não são legais. Parem com isso.

Algumas pessoas são tóxicas, eu sei, e às vezes, são da nossa própria família. Então, lembrem-se. Família não é feita apenas de laços sanguíneos, mas de quem você ama e de quem ama você. E, se você também se sente assim, não tenha medo de procurar ajuda. Você não está sozinho (a). Nós estamos aqui.

Livro cedido pela editora

Nota:




6 comentários:

  1. Que resenha incrível! E mds, no segundo parágrafo eu já tava pensando "esse livro é minha cara", adorei o enredo, parece fofo e sério ao mesmo tempo

    ResponderExcluir
  2. Já quero. Não curto muito romance , mais acredito nas pessoas e achei legal essa idéia de discriminação. Vivemos em um mundo onde somos rotulados somente pela aparência. Sinto isso na pele. Estar acima do peso é um status hiper discriminatório onde as pessoas não te conhecem realmente pq você é rotulado de diversas formas. Se alguém te diz que gosta de vc , automaticamente vc diz mais eu sou gorda... Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, infelizmente é a realidade de muita gente, e a autora soube mostrar isso, de forma que aqui, no mundo real, nós saibamos que somos mais fortes que qualquer rótulo ou piadinha de mau gosto

      Excluir

Siga-nos no Instagram @dicasdojess