10/12/2018

[Resenha] O Homem de Areia



Ficha Técnica:

O Homem de Areia
Autor: Lars Kepler
Ano de publicação: 2018
Nº de páginas: 462


O Homem de Areia nos conta a história de Joona Lina, detetive responsável pela captura e prisão de Jurek Walter, serial killer responsável pela morte e desaparecimento de diversas pessoas. Hoje, Jurek está num hospital psiquiátrico, sem a menor chance de sair.
Numa noite que deveria ser calma, um jovem à bira da morte é visto caminhando. Ele é reconhecido como Mikael Kohler-Frost, filho do famoso autor Reidar Frost. Mikael desapareceu há treze anos, e foi dado como morto seis anos depois. Mikael foi considerada uma das vítimas de Jurek Walter.


A suposição de Joona Lina sobre Jurek ter um cúmplice volta à tona. Uma força-tarefa é montada pois, se há um cúmplice, há muita coisa que precisa ser resolvida. E, segundo Mikael, sua irmã, Felícia, ainda está viva. Levando em conta o que sabem sobre Jurek (incluindo o medo que têm dele), eles possuem pouco tempo.



A história se desenvolve com facilidade e, devido à diagramação, a leitura torna-se rápida e agradável. Os capítulos possuem, no máximo, quatro páginas, e a maioria dos parágrafos possuem cinco linhas ou menos. Li mais da metade do livro num único dia!

O livro se passa na Suécia. Então, se você já leu a trilogia Millennium, vai se sentir familiarizado. E não são só as localizações. Aquele velho papo de que literatura policial escandinava é fantástica prova-se real. Há vários pontos de vista, e isso é um ponto mais que positivo, pois entrega ao leitor um resultado mais coerente, já que podemos ver como cada um dos personagens envolvidos reagem à atual situação. O "Homem de Areia" do título faz alusão ao Sandman, entidade mística relacionada ao sono.

Joona Lina é um ótimo detetive, e está disposto a fazer qualquer coisa para ver Jurek atrás das grades novamente, pois sabe quão perigoso ele é. Jurek tirou muita coisa de Joona, e o detetive não vai esperar sentado. A trama gato e rato se desenvolve com louvor, e nós, leitores, somos agraciados com uma leitura espetacular. Destaque também para Saga Bauer, que prova-se uma agente impressionante, sem medo de meter a porrada, quando necessário.

E MEU DEUS DO CÉU, O QUE DIZER SOBRE A ÚLTIMA PÁGINA?

Se, por ventura, você adquirir o livro, não inventa de olhar a última página "só pra conferir a quantidade de páginas". Você vai se arrepender amargamente.

Livro cedido pela editora.

Nota:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos no Instagram @dicasdojess