25/12/2018

[Crítica] Coraline e o Mundo Secreto


Ah, uma grata surpresa de Natal. Sabe aquele tipo de filme que você assiste sem expectativa alguma, mas acaba se surpreendendo? Coraline foi esse filme pra mim.

Coraline e o Mundo Secreto é baseado no livro Coraline, do autor Neil Gaiman. A história começa quando Coraline se muda com seus pais para uma nova casa, em Ashland, Oregon. Ela está insatisfeita por ter deixado seus amigos para trás, ainda mais porque seus pais são workaholic, então eles não têm muito tempo livre para a garota. 

Sentindo-se sozinha, Coraline sai para explorar a região, e acaba conhecendo Wyborne Lovat e seu gato preto; quando retorna para casa, decide explorar o lugar, e é aí que tudo fica muito mais interessante.



Investigando os cômodos de sua casa, Coraline acaba encontrando uma portinha atrás do papel de parede. Sua mãe abre a porta para ela, mas está murada. Não há nada lá.
Durante a noite, Coraline pensa ter visto algo caminhando pela casa, e decide seguir. O animalzinho que ela está seguindo vai direto para a porta que ela abrira mais cedo. Porém, dessa vez, havia um túnel, que levava a outro lugar.

Lá, Coraline vê um mundo totalmente igual ao seu mas, de certa forma, diferente. Ali, tudo é do jeito que ela queria. Seu pai sabe tocar piano, e sua mãe nunca foi tão atenciosa e amorosa. Eles se auto intitulam Outra Mãe e Outro Pai. O único problema é que eles possuem botões no lugar dos olhos. Ela volta para sua casa normal mas, um dia, e depois em outro, ela retorna para seus outros pais. Nesse outro mundo, tudo ia muito bem, até que tudo começa a dar errado.

Apesar de ser vendido como um filme infantil, Coraline e o Mundo Secreto vai muito além disso. Podemos levar em conta os botões no lugar dos olhos, o visual de alguns personagens e a ambientação gótica e tenebrosa. Mas isso não é algo ruim pois, num mundo de stop motions como O Estranho Mundo de Jack, A Noiva Cadáver e Frankenweenie se destacam, Coraline e o Mundo Secreto é a cereja do bolo.

Henry Selick, o diretor do filme, leva os créditos. A técnica stop motion não é nada fácil, já que, para cada segundo de filme, os personagens e o cenário se movem 24 vezes. É, um trabalhão do caramba, mas o diretor nos entrega um material de qualidade, como se o processo do filme. Mas há algo que faz o filme ir além: foi o primeiro stop motion filmado diretamente em 3D.

A fotografia do filme ajuda. Você não consegue desgrudar os olhos da tela, e sentimos como se fizéssemos parte daquele mundo. Mas, além de ser um filme excelente, com uma narrativa impecável, Coraline e o Mundo Secreto deixa uma importante mensagem: dê valor ao que você tem.

Nota:

_____________________________________________________________________________

Teorias


O filme é maravilhoso por si só, mas o universo criado vai muito além. A história está mergulhada em várias teorias, e eu reuni as melhores aqui. Se você ainda não assistiu o filme, vai lá na Netflix e assiste, pois essas teorias estão recheadas de spoilers.

Alguns acham que a Beldam (Bela Dama, a Outra Mãe) era só uma criatura de outro mundo, mas o próprio livro confirma que ela já fora uma mulher. De acordo com a teorias, ela teria construído a Mansão Rosa, e até que faz sentido, já que o jardim tem o formato de seu rosto.


Acreditam que o poço que aparece no início do filme é um portal para o outro mundo, já que, no início do filme, Wyborne diz que, do fundo do poço, é possível ver as estrelas, mesmo ao meio-dia. Se vocês repararem, no outro mundo é sempre noite. No caso, o poço seria um portal só de ida, diferente da portinha na casa de Coraline.



Beldam caiu no poço há 150 anos, quando ainda era uma humana. Ela adquiriu todos os poderes do lugar, com o preço de nunca poder ir embora. Como precisava se manter forte, ela passou a atrair crianças para lá, para poder se alimentar delas. Mas as crianças precisavam se entregar, abotoando seus olhos, como um ato de amor.

A cidade onde o filme se passa foi fundada em 1852, e o livro foi lançado em 2002, exatos 150 anos após a fundação da cidade. Na primeira cena em que o pai de Coraline aparece, ele também diz que a casa foi fundada há 150 anos.

É sabido que Beldam capturou três crianças durante esses 150 anos. Na cena em que as duas irmãs atrizes criam aquela pedrinha marota para Coraline, aparecem 3 potes de doces, e cada um possui um ano diferente (1921, 1936, 1960). Especula-se que sejam os anos que cada uma das crianças foi capturada. Levando em conta que entre 1852 e 1921 há um intervalo de 69 anos, o que faz sentido ela ter envelhecido tanto. Mas como ela passaria tanto tempo sem se alimentar?

Acredita-se que o gato preto seja a primeira criança que a Beldam tentou capturar, e conseguiu escapar. Quando a criança morreu, acabou reencarnando, e hoje protege outras crianças de serem capturadas pela Beldam. Observem que os olhos do gato são do mesmo tom dos olhos do menino. Não só azuis, mas no mesmo tom.



No final do filme, Coraline tem a brilhante ideia de jogar a chave do outro mundo no poço. NO POÇO. Lembrando que há a possibilidade de o poço ser um portal para o outro mundo. Se isso for verdade, ela jogou a chave direto para Beldam.

Vocês já assistiram o filme? Há alguma teoria que você já viu e não está por aqui?


2 comentários:

  1. Eu sou completamente apaixonada por esse livro, quando se trata de criar mundos diferentes e fantásticos,o Neil Gaiman arrasa demais <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi a primeira vez que assisti esse filme, e amei demais. Vai muito além de ser só uma animação. É um baita filme, com uma baita mensagem e um rio de teorias da conspiração.
      Sei que uma continuação é improvável, mas quero kk

      Excluir

Siga-nos no Instagram @dicasdojess