10/08/2018

[Novidades] Literatura nacional se destaca na Bienal Internacional do Livro



Mesmo que ainda haja certo preconceito, a literatura nacional está ganhando seu devido reconhecimento no mercado literário. Cada vez mais autores nacionais estão ganhando as prateleiras (ou até mesmo leitores digitais), sendo adaptados para o cinema e caindo na graça dos leitores. 


Sim, ainda têm muitos leitores que não simpatizam com livros nacionais e, na verdade, não há muitos motivos para isso. Não adianta falar que há livros ruins. Há livros bons e não tão bons em todas as nacionalidades. O que faz uma história ser boa não é de onde ela veio (às vezes), mas quem a escreveu.
Felizmente, alguns leitores abraçaram a literatura nacional e, melhor ainda, estão divulgando os trabalhos das editoras e autores. Eu, particularmente, estou aqui, agradecendo cada um de vocês que fazem a literatura nacional ficar cada vez mais forte para buscar seu lugar ao sol.


Ainda nas boas notícias, algumas editoras também abraçaram a causa, e estão dando chance à autores nacionais. Juntamente com isso, vieram eventos literários gigantescos, como a Bienal Internacional do Livro. Esse ano, a Bienal está sendo realizada em São Paulo. E, se há algo que vale a pena ser mencionado, é o destaque que a literatura nacional teve.



Selo Jovem com estoques esgotados

A editora Selo Jovem (da qual faço parte), teve a maioria de seus livros esgotados na Bienal, incluindo meus livros, Sozinhos no Escuro e Condenados. Essa é a segunda Bienal da editora e, infelizmente, não pude estar em ambas. Mesmo assim, meus livros esgotaram tanto esse ano como ano passado, e essa é uma vitória gigantesca para mim. Pode parecer pouco, mas sinto que estou no passo certo na carreira de autor quando meus livros esgotam num evento tão importante como a Bienal, mesmo que eu não estivesse presente.





Esses são alguns dos livros que esgotaram:

Angellore: Sussurro Noturno

Lázaro - A Maldição dos Mortos

Avenida Paulista - 18h00min

Três carretas.

De dentro delas, mortos-vivos são liberados, espalhando o caos pela cidade de São Paulo. Do dia para a noite, a sociedade tem suas estruturas abaladas e entra em colapso. Ao mesmo tempo, Luca, seu tio e amigos tentam a todo custo escapar do pesadelo. Mas sair da cidade não é o fim, e sim apenas o começo da era dos mortos-vivos. De onde eles vêm? Será que a maior cidade da América Latina resistirá?






Cartas Para Helen

Enviada

Sárdirus

Um Vampiro no Mundo


Os Filhos de Egoz

O fim dos tempos é anunciado, o Ragnarök enfim teve início, o céu escurece e as estrelas sucumbem contra os planetas que são consumidos pela destruição. A fúria dos mares consome a vida na terra e os seres humanos são extintos. O Ragnarök destrói Alfheim que é engolida pelo Érebo, o equilíbrio entre os mundos é abalado. A árvore da vida, Yggdrasil, sucumbe em cinzas.

Mas outros deuses sobreviveram das ruínas da batalha, um novo sol ressurgiu no céu, e Zeus (o deus grego), o pai dos homens, trouxe vida a uma nova terra que se ergueu entre os mares. Arin e Cesar, os dois únicos humanos sobreviventes, que se esconderam sob as raízes de Yggdrasil, a árvore que sustentava os nove mundos, repovoarão o mundo. Agora livre de seus males, finalmente houve um tempo de harmonia entre deuses e homens.

A paz não duraria para sempre, pois se existe o bem também existe a possibilidade do ressurgimento do caos, o bem e o mal são forças fadadas a lutar pelo resto da existência divina. Um novo tirano se ergue entre as trevas, e com ele à sede pelo poder a qualquer preço. Alianças foram abaladas, vidas sacrificadas, batalhas travadas, a supremacia benéfica deixou de existir. A ganância de Zarc se alastrou infinitamente e até mesmo as crianças eram obrigadas a integrar os seus exércitos. A terceira parte de Oriun havia sido devastada completamente. Mas após quinze anos de tormenta, a esperança ressurge novamente - renasce junto aos filhos de Egoz.

Editorial Hope também não faz feio

O Grupo Editorial Hope também está crescendo demais. Nos últimos meses, fechou contratos importantes e publicou várias antologias, incluindo a antologia de terror Daemonum Sigillum. Além disso, o autor Robson Gundim lançou a versão física de Enquanto Eles Não Vêm, E FOI UM TREMENDO SUCESSO! O livro esgotou! Se ainda não conhece o livro, confira a resenha aqui.











Cada vez mais autores estão tendo seu espaço para autógrafos

Autores, independentes ou não, estão ganhando cada vez mais espaço para autografar seus livros, como a autora Jéssica Ribeiro, por exemplo. No dia 8, a autora esteve autografando seus livros, Ilhas de Thoron e Terra, no stand da Editora Coerência.


Ela não foi a primeira e nem a última. Raphael Montes, autor de Jantar Secreto (confira a resenha) e que vai lançar um filme sobre Suzane Von Richthofen (confira).

Autora queridinha do momento, com dois de seus livros prestes a ganhar adaptação cinematográfica, a autora Ana Beatriz Brandão também esteve presente, e comparecerá novamente ao evento no sábado, dia 11/08. (confira a resenha de O Garoto do Cachecol Vermelho).

Gosta de fantasia? Tem tambem. Deixo um destaque para o ótimo Heróis de Novigrath, que arrasou no stand da Companhia das Letras (confira a resenha).

A Faro Editorial também não fez feio, e teve até pedido de casamento do autor Marcus Barcelos!



Claro, essa é só a ponta do iceberg, amiguinhos. Os stands estavam completamente lotados, com vários livros sendo vendidos por R$10,00, ou até menos. Alguns leitores levaram MALAS, para dar conta de carregar todos os livros.

Algo desse nível me deixa ainda mais orgulhoso de não ter desistido da carreira de escritor. Sim, ainda há muito a ser feito pela literatura nacional, mas juntos, leitores, escritores e editoras, já deram o primeiro passo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos no Instagram @dicasdojess