05/10/2018

[Curiosidades] O Assassinato de Julia Wallace



A história da humanidade está repleta de assassinatos que nunca foram resolvidos, como o Assassino do Zodíaco (confira aqui). Infelizmente, o caso de Julia Wallace também é um desses, e acabou se tornando um dos maiores casos não resolvidos da história britânica.
Liverpool, noite do dia 31 de janeiro de 1931, na 29 Wolverton Street. Naquela noite, Julia Wallace ficou em casa, enquanto seu marido, William Herbert Wallace, foi ao clube de xadrez, como costumava fazer. Quando ele chegou lá, lhe disseram que uma mensagem havia sido deixada para ele, cerca de 25 minutos antes, pelo telefone, por um homem chamado Qualtrough. William não fazia a mínima ideia de quem era esse cara.
O tal recado dizia que William devia comparecer à 25 Menlove Gardens East. William procurou pela rua, mas em vão. Havia uma Menlove Gardens North, Menlove Gardens South e Menlove Gardens West, mas não uma Menlove Gardens East. Ele perguntou para moradores locais e policiais que estavam nas redondezas, mas ninguém pôde ajudá-lo. Desapontado, o sr. Wallace voltou para casa e, se estava intrigado por não saber quem era o tal Qualtrough, ficou surpreso quando, ao abrir a porta de sua casa, ver que sua mulher havia sido brutalmente assassinada na sala de estar. Uma pequena quantia de dinheiro fora levada, mas não foi considerada a causa do assassinato.

Claro, ele negou ter qualquer envolvimento com o crime. Fez todas as declarações necessárias e respondeu à todas as perguntas, sem hesitar. Mesmo assim, duas semanas depois, a polícia o prendeu. A polícia tinha provas de que a cabine telefônica usada por Qualtrough estava a apenas 400 metros da casa dos Wallace, e logo começaram a suspeitar que William era o próprio Qualtrough, A polícia também estava convencida de que William matou sua esposa e ainda conseguiu embarcar no bonde. Para isso, um jovem detetive refez os movimentos do assassino, e William, doente, e aos 52 anos, não poderia ter feito tal coisa.



A perícia revelou que o assassino de Julia Wallace deveria ter saído dali banhado em seu sangue, levando em consideração a brutalidade do assassinato. As roupas que seu marido usou naquela noite foram examinadas, mas não encontraram nada relevante. Um mackintosh (uma gabardina à prova d'água, feita de tecido com borracha) foi encontrada sobre o corpo de Julia, e a polícia logo cogitou que William, nu, teria usado aquilo para se proteger. Porém, os exames constataram que a gabardina não havia sido usada recentemente.

Mesmo assim, ele foi julgado. Um entregador de leite local afirmou, com certeza, que havia falado com Julia pouco antes de seu marido sair para pegar o bonde. William foi sentenciado à morte.
Porém, em maio daquele ano, o Tribunal de Apelação Criminal anulou a sentença de William, alegando que ele "não era apoiado pelo peso da evidência". Como não haviam evidências novas, aquilo só podia significar uma coisa: o júri estava errado.

Depois de quase ter perdido a cabeça, William Wallace voltou para sua vida antiga, incluindo seu emprego. Mas já não era mais a mesma coisa. Até seus clientes passaram a olhar torto para ele. Ele recebeu até mesmo cartas de ódio. Cedendo à pressão, William mudou-se para Bromborough. Menos de dois anos depois, William veio à óbito, no Hospital Clatterbridge, vítima de uremia.

Nenhuma outra pessoa foi acusada, e o caso continua sem solução até hoje.


Nenhum comentário:

Postar um comentário