29/05/2018

[Resenha] Ultra Carnem




Ficha Técnica:


Ultra Carnem
Autor: Cesar Bravo
Ano de publicação: 2016
Nº de páginas: 384



Quando conheci Cesar Bravo, ele já estava consolidado como um dos maiores autores nacionais de terror. Olhei no espelho (não exatamente) e prometi que conheceria o trabalho desse cara. Conheci o autor, e vi nele a humildade e carisma que todos os autores deveriam ter. Se quiser conhecer um pouco mais sobre Cesar Bravo, leia aqui a entrevista que o autor deu para o Dicas do Jess.

Durante nossa jornada como leitor, há alguns livros simplesmente surpreendentes, e que ficarão marcados para sempre em nossa memória. Durante muito tempo eu flertei com Ultra Carnem, tanto pela edição maravilhosa quanto pelas resenhas positivas que encontrei sobre o livro. Hoje, posso bater no peito e dizer que Ultra Carnem superou minhas expectativas, e tornou-se uma das melhores leituras do ano.



O livro é dividido em quatro partes: O Abandono, Gênesis, O Pagamento e O Inferno.

O Abandono nos conta a história de Wladimir Lester (guarde bem esse nome), um garoto cigano e órfão que é deixado num orfanato numa noite chuvosa. Lester, apesar de ser apenas um menino, tem um dom extraordinário para pintura que, segundo alguns, são tão lindas a ponto de parecerem fotografias e cenas reais. Se depender dele, passa o dia todo pintando e, não importa o que aconteça, ele não larga, de jeito nenhum, sua tinta especial, um tubo de ensaio com algo que parece sangue.

A segunda história começa. Pensei que cada parte do livro era um conto único, mas fui surpreendido ao descobrir que Nôa, protagonista de Gênesis, é um pintor fracassado, nos dias atuais, que tem como único objetivo encontrar a tal tinta especial de Lester. É, meus amigos. De alguma forma, as histórias estavam conectadas. Quando Nôa descobre sobre Lester, e encontra livros que comprovam que tudo foi real, ele deixa tudo para trás, até mesmo sua companheira.

O Pagamento nos apresenta Marcos Cantão, um técnico em informática que não tem a melhor vida possível. Ao arrumar o computador de uma cigana que não tem dinheiro para pagá-lo, a tal cigana lhe faz uma proposta: Marcos pode fazer qualquer pedido para a Ciganinha, uma estátua de gesso, e seu pedido será realizado. Como ser humano é besta, ele faz o que lhe foi orientado. A partir desse dia, sua vida muda completamente.

O Inferno é levado ao pé da letra. Lucrécia, que trabalha num bar, acaba ouvindo a conversa de demônios e, para não ser morta, aceita trabalhar para Lúcifer, com o intuito de trazer ainda mais almas para o lado negro da Força.

O livro é visceral, e o autor não economiza em derramar litros de sangue. As mortes são brutais, e temos a sensação de estar assistindo um filme de terror em slow motion. Como livro de terror, ele cumpre seu papel com maestria. Os capítulos são curtos, e a tensão aumenta a cada página. Os personagens são bem desenvolvidos. Cada um mais ferrado que o outro, e ainda mais disposto a fazer merda para conseguir o que quer. Nossos protagonistas são beeeeem errados. Orgulho, ira e pecado (e muito mais) regem suas vidas. Os personagens masculinos têm bem mais participação, mas não é algo que incomode. A crueldade humana é explorada até a última gota, e só me provou algo que eu havia pensado, tempos atrás: há coisas piores do que os monstros.

Como falei no começo da resenha, Wladimir Lester é o foco de tudo aqui. Não costumo me lembrar de todos os personagens de todos os livros que leio (seria possível?), mas Wladimir Lester já encontrou um jeito de ficar para sempre em minha mente. Conhecemos um pouco mais do personagem a cada conto, e cada página nos deixa ainda mais curiosos sobre quem ele realmente é, e por que, de alguma forma, tudo está conectado a ele.

Nem preciso falar da edição do livro, né? Vocês sabem que a DarkSide arrasa.. Capa dura, capítulos curtos, boa diagramação e artes simplesmente fantásticas.

Se você procura um livro único e surpreendente, que figurará entre suas melhores leituras do ano, Ultra Carnem precisa estar em sua wishlist.

Nota: 




Nenhum comentário:

Postar um comentário