26/05/2018

[Resenha] O Temor do Sábio



Ficha Técnica:

O Temor do Sábio
Autor: Patrick Rothfuss
Ano de publicação: 2011
Nº de páginas: 960

Continuação de O Nome do Vento, O Temor do Sábio traduz sabiamente o significado de "livro perfeito". Com um desenrolar amistoso, e de fácil absorção, acompanharemos a longa narrativa do hospedeiro Kote (nosso amado Kvothe), sobre seu passado.
Esse é o segundo dia da narração, depois do acordo que fez com O Cronista, em que se disporia de três dias para contar a verdadeira versão sobre todas as histórias que eram contadas, boca a boca em todos os quatros cantos da civilização, e nele Kvothe relembra todos os seus feitos.



Kvothe ainda busca continuamente saber mais sobre os Chandrianos e os Amyr. Mas mesmo com uma biblioteca tão vasta quanto o arquivo da universidade, descobrir qualquer detalhe sobre eles é mais difícil do que achar uma agulha em um palheiro.
E como a sorte do rapaz não é das melhores (dependendo do ponto de vista hehe), o jovem garoto precisa se afastar da universidade devido às suas constantes brigas com o Nobre Ambrose, a desavença entre os dois é ainda maior que em O Nome do Vento.

Quando o Conde Threipe recebe uma carta do Maer Alveron, um homem tão rico quanto o próprio rei, pedindo que lhe mandasse um jovem bem instruído, o homem não evita em convencer Kvothe a embarcar para Vintas o mais rápido possível. Convencê-lo, é claro, foi muito fácil, afinal,  estaria fora da universidade por aquele semestre, e Denna, a única razão que o manteria ali, também já havia partido da cidade, como lhe era de praxe. Além do mais, prestar serviços ao Maer poderia lhe render bons frutos, o jovem Kvothe ainda estava a procura de um mecenas, mas mesmo com todo seu talento, Ambrose conseguiu "convencer" (entenda por: ameaçar, comprar) todos os nobres da região a não apadrinhar o garoto ruivo.


Chegando em Vintas, Kvothe tem uma surpresa, apesar de seu compromisso para com o Maer seja outro, o jovem acaba lhe salvando a vida, o que é maravilhoso, afinal, quem não iria querer um dos homens mais ricos e poderosos lhe devendo dois favores?
Mas é claro que isso não seria a história de vida de Kvothe, o sem sangue, sem uma reviravolta, não é mesmo? Em uma noite em que estava um tanto fora do juízo o jovem rapaz aceita um pedido do Maer de ir para as estradas juntar-se com outros guerreiros, para caçar bandidos na estrada do rei. E é ai que entra um dos personagens mais interessantes da história: Tempi, um guerreiro Ademriano. Silencioso e diferente, já que a cultura do povo de Ademre é uma das mais trabalhadas por Rothfuss.

A narração de O Temor do Sábio é mais bem construída do que o primeiro livro, o que é incrível, e só demonstra que com essa série não existe aquela velha história de "se melhorar estraga". Temos no livro um Kvothe em constante desenvolvimento, as frases são bem construídas, os diálogos engraçados, sérios, reflexivos e sábios. O livro é grande, mas dificilmente me senti entediada ao ler, pelo contrário, só reforcei ainda mais a ideia de que A Crônica do Matador do Rei é minha história favorita de todos os tempos.

O livro também se torna um tanto erótico em uma certa parte, quando Kvothe está com uma encantada, vivendo no mundo dos Encantados. Há também novos personagens inseridos na história, como Tempi, Vashet, Maer Alveron, Bredon e muito mais, todos bem construídos.

As aventuras de nosso jovem herói não acabaram, é claro, e sua busca pelo nome do Vento também não.

As Crônicas do Matador do Rei será adaptada em formato de série pelo diretor Sam Raimi. Confira tudo aqui.

Nota:




2 comentários:

  1. Oie, tudo bem?
    Primeira vez te visitando. <3
    Essa série parece bem legal, e achei bacana que vá ser adaptada pra TV.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É demais, super recomendo! Pois é, eu to super ansiosa já kkk <3

      Excluir