02/05/2017

[Resenha] O Livro Secreto

É possível se apaixonar por um livro extremamente curto (170 páginas)? Sim, é possível.

Durante aquelas espiadas da vida na Amazon, acabei conhecendo O Livro Secreto, do autor francês Grégory Samak. Na época, estava sem grana, mas a obra ficou em primeiro lugar na minha wishlist. A capa me cativou, o nome me cativou e, acima de tudo, o enredo me deixou extremamente curioso. Assim que possível, adquiri meu exemplar, e li-o em menos de três horas, durante uma viagem. Se valeu a pena? Com certeza.

O Livro Secreto conta a história de Elias Ein. Elias já está numa idade avançada e, após a morte de sua irmã, já não resta mais ninguém de sua família. Sozinho no mundo, isola-se na pequena Braunau am Inn, na Áustria. Elias é apaixonado por xadrez e livros. Um dia, xeretando sua nova casa, acaba encontrando o que pode ser o maior tesouro da humanidade: o Grande Livro da Vida, o qual ele acredita ter sido escrito por Deus. O livro traz, detalhadamente, a vida de cada pessoa que já passou e que ainda passará pela face da Terra.
O velho Elias torna-se obcecado pelo livro (e quem não ficaria?), passando horas e horas lendo sobre a vida e morte das pessoas, inclusive de seus familiares. Claro, a leitura não era à toa. Ele pensava se o livro era só isso - apenas um livro sobre a vida de todos - ou se ele também poderia ser alterado.
Nesse meio tempo, o jovem Tom entra na vida de Elias e, mesmo que discretamente, Elias cuida de Tom como se o garoto fosse o neto que ele nunca teve, principalmente porque Tom é órfão e, assim como ele, também é apaixonado por literatura.
Elias, o Sábio, acaba mexendo com o que não deve, e descobre que tem, em suas velhas mãos, o poder de mudar a História. E, como vocês sabem, leitores (exceto você, Barry Allen), não é nada legal mexer com o Tempo. Isso causaria danos catastróficos. Se você muda um único dia, talvez as mudanças não sejam tão perceptíveis, mas experimente pensar em tudo o que mudaria caso você voltasse à época da Segunda Guerra Mundial e matasse Hitler.
A escrita de Grégory não é nada cansativa, e os capítulos são curtos, o que torna a leitura fluída. A cada página, nós nos sentimos ainda mais atraídos pela história, e curiosos para saber o que Elias, o Sábio, fará com todo o poder que tem em suas mãos, fazendo-nos pensar o que nós faríamos.
E você, leitor. Se pudesse mudar o passado, mesmo sabendo das consequências, você mudaria algo? O que mudaria?

O Livro Secreto, mesmo tendo passado rapidamente por minha vida, tornou-se um de meus livros favoritos, tanto por sua história como pela mensagem que ele passa. Sabe aqueles livros que você leria facilmente durante uma tarde chuvosa? Então.

Nota:



2 comentários:

  1. Se eu já adoro o livro lendo essa resenha, imagina só quando ler as 170 páginas kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é sua cara, sabia? Depois te empresto :3

      Excluir