05/04/2017

[Resenha] A Mulher Silenciosa

Hey, gente. Tudo bem com vocês?

Todo mundo já pegou um livro por acaso e acabou se apaixonando pela história. Inclusive aconteceu comigo recentemente, como contei na resenha de Infinity Drake - Os Filhos da Scarlatti. Comprei A Mulher Silenciosa naquela mega promoção da Amazon.
- Ah, tá barato. Não deve ser lá essas coisas.
Meu Deus, como eu estava enganado...
Todos têm seus demônios internos, e isso é inegável. Por fora, podemos ser as pessoas mais felizes do mundo, mas lá no fundo, bem lá no fundo mesmo, há algo em sua vida que você faria qualquer coisa para reverter. Uma prova para a qual você deveria ter estudado, mas não estudou, um vício secreto (pornografia, filmes B, piruá [aquele milho que não estoura quando tu faz pipoca], etc.). Não importa o que seja, você luta contra isso. O tempo passa, e você acaba aceitando isso em sua vida. Dia após dia, você se adapta ao tal vício, de forma que você se sente como se ele fosse parte de você.

Jodi e Todd estão juntos há vinte anos. Ele é um empreiteiro, ou seja, tem dinheiro pra cacete. Ela é psicoterapeuta, e atende seus clientes no belo apartamento onde residem. Ele tem um Porshe; ela, um Audi. Comem e bebem do melhor possível. Sem filhos, e um cachorro fofo o qual eles chamam de Freud. Deveria ser a vida perfeita, né? O casamento fofinho com o qual todos nós sonhamos.
Mas não é.
Como eu disse, todos nós temos demônios internos, e Todd também tem o dele. Ele trai Jodi (ela é viciada em vodca com tônica). Ela sabe que ele a trai, e ele sabe que ela sabe. Ele não se importa que ela saiba, e ela não faz absolutamente nada a respeito. Ela deveria, mas não faz. Ela simplesmente aceita que Todd faz isso com ela e segue em frente, como se nada tivesse acontecido.
Nada está tão ruim que não possa piorar. Todd está saindo com a filha de seu melhor amigo (quem precisa de inimigos?), e está decidido a se separar de Jodi para ficar com a garota, Natasha Kovacs. Jodi não tem mais nada a perder, e já não liga mais para o que está acontecendo ao seu redor. Ela já não está mais vivendo, é como se estivesse apenas sobrevivendo, dia após dia, até o momento em que a morte convidasse-a para dar um passeio sem volta.
Já se sentiu como se mais nada em sua vida importasse? Jodi chegou à esse ponto. Ela está cada vez mais ferrada, cada vez mais submersa num poço profundo. Ela realmente não tem mais nada a perder. Não há plano B, não há alternativas. Ela não tem mais nada. Ela age com frieza, silenciosamente, como se nada estivesse acontecendo, apenas para manter as aparências do casamento perfeito.
Situações de desespero pedem medidas desesperadas. Jodi se vê no meio de um dilema, mas não há muito a ser feito. Se você já se perguntou onde iria caso não tivesse mais alternativas, pense de novo. Depois que a última escolha é feita, não há volta.
O livro, romance de estreia da falecida autora A. S. A Harrison, é narrado pelo ponto de vista de Jodi e de Todd. Entendemos um pouco mais sobre as escolhas dele e sentimos cada vez mais pena quanto aos problemas dela. Harrison criou uma história sólida, no mundo real, mostrando que até mesmo a mais perfeita das histórias pode ruir. A narrativa flui de forma sutil, de modo que o leitor se sente atraído pela leitura, com a intenção de saber até onde é capaz de ir a ruína de alguém.
O livro é comparado ao best-seller Garota Exemplar, o qual eu ainda não li, mas já ouvi falar, e não foi pouco, ainda mais depois que a adaptação cinematográfica rendeu uma indicação ao Oscar para a atriz Rosamund Pike. Fontes dizem (The Guardian, USA Today, The Mail, NY Times, autora Jojo Moyes. SÓ) que A Mulher Silenciosa é até mesmo melhor que Garota Exemplar, devido à forma como a história fica cada vez mais fria e profunda.
Particularmente, gosto mais do ponto de vista de Jodi. A personagem está se ferrando cada vez mais e, por incrível que pareça, a autora deu um jeito de tornar tal situação em algo extremamente interessante de ser lido.
O final do livro é contado logo na capa, mas isso não é decepcionante. O que realmente importa é o que aconteceu até que esse ponto chegasse.
Gosta de livros curtos, rápidos e interessantes? Gosta tanto de uma história a ponto de lê-la mais de uma vez? Então A Mulher Silenciosa deve estar, definitivamente, em sua meta de leitura.

Nota:

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou escritor. Acabei adquirindo alguma experiência haha
      Mas muito obrigado :3
      Leia, cara. E aproveite. Ele tá em promoção na Amazon haha

      Excluir
  2. AAAAAAAAAAAA, preciso ler!!!!!!!!
    Eu amei Garota Exemplar, e se disseram que é ainda melhor, então sei que irei amar.
    Não consigo nem imaginar como a Jodi estaria se sentindo e quero entender melhor por quê ela não faz nada a respeito sobre a traição do marido.
    Imagino qual é o final que é contado do início, e fiquei curiosa pra saber o que a leva a fazer isso (se minhas suspeitas estiverem certas, haha).
    Adorei sua resenha, Jess <3

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não li Gone Girl, mas esse livro me deu ainda mais vontade.
      E sério, quando possível, leia esse livro. Tu vai adorar.
      Obrigado <3

      Excluir