09/01/2017

[Resenha] Lua de Sangue

Hey, seus lindos! Tudo bem com vocês? Como está sendo o começo do ano?

É, o ano começou e, com ele, aquela nossa lista infinita de livros a serem lidos. Assim como vocês, também montei minha meta de leitura para esse ano, e o primeiro livro dessa lista foi Lua de Sangue, da autora Cris Eliot.
Antes de tudo, não se deixem levar pela capa. É, ela é um tanto quanto sugestiva, e eu sei disso, mas a história não é sobre lobisomens. Sério que fui o único a pensar isso?
Lua de Sangue é o primeiro livro da autora, que já chegou chutando a porta do mercado literário. A história é sobre nossa querida Elise Stein, uma garota que vive em Avem e casou-se muito cedo, contra sua própria vontade, mas vê tudo mudar quando uma Lua de Sangue aparece. Ela conhece Custódio, um dos sete arcanjos. Durante o primeiro encontro, Elise descobre que ela é, digamos, diferente das outras pessoas. Ela é uma elemental. Isso mesmo. Os elementais existem há décadas e, como descobriremos mais tarde, várias pessoas importantes na história da humanidade eram elementais. Elise pode controlar o elemento terra.
Custódio tem o chato costume de aparecer e desaparecer, deixando a garota com mais perguntas do que respostas. Ela está louca para saber tudo o que está acontecendo, mas Custódio não colabora muito. Segundo ele, algumas informações são sigilosas demais, e Elise só terá conhecimento delas quando for o momento certo. Porém, isso não a impede de se aproximar de Custódio, de um jeito que ela não queria que acontecesse. Ela nutre sentimentos pelo arcanjo, como se fosse paixão à primeira vista, mas sabe que é improvável que dê certo um relacionamento entre uma humana e um arcanjo (mas seria incrível se isso acontecesse. Imaginem quão poderosa seria essa criancinha).
Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades. E tretas. Mas, infelizmente, a treta não rola. Ao mesmo tempo em que Elise descobre ser uma elemental, coisas ruins passam a acontecer em Avem. Já que Custódio não colabora muito, ela decide estudar por conta própria, ao descobrir alguns livros deixados por sua mãe. Ah, sua mãe. Do jeito mais difícil, Elise descobre que sua mãe não era a pessoa que dizia ser, mas sente um orgulho imenso de quem ela foi.
Custódio quer levá-la ao campo de treinamento, mas não antes de ela passar por tudo o que é necessário. Não é simplesmente "vamos lá treinar e explodir coisas". É um pouco mais complexo do que isso, mas vale a pena cada explicação que nos foi dada.
A escrita de Cris é muito rica, o que contribui bastante para a história. A autora é adepta dos detalhes, e podemos ver claramente o que Elise está vendo e sentindo. Eles até mesmo dão uma passaditcha no Rio de Janeiro! (A história se passa nos EUA). Uma boa  mitologia foi criada para a história, e eu espero que ela seja explorada com o devido potencial. Se isso acontecer, cabeças vão rolar, porque a treta por trás de anjos e elementais contra as forças obscuras é muito mais antiga do que se imagina. A treta propriamente dita não acontece, mas é estabelecido um plano de fundo gigantesco para o próximo livro. Seria uma pena se uma história com um grande potencial não desse certo.
Tempos sombrios estão se aproximando, e devemos estar preparados para quando isso acontecer.

Nota:

2 comentários: