30/08/2016

[Listas] Referências ao autor Stephen King em Stranger Things



Hey, galera. Tudo de boa por aí?

O site Literatura Policial adaptou um texto de Mark Oliver, que foi originalmente publicado no site #AmReading, e que foi traduzido por Ana Paula Lax. O texto é sobre 7 referências a Stephen King na série Stranger Things, a série da Netflix que se tornou febre mundial.

29/08/2016

[Novidades] Confirmado quem será o vilão no filme solo do Batman



Alguém me segura, eu não tô bem.

Hoje de manhã, em seu perfil no Twitter, o ator Ben Affleck postou um vídeo que dava pistas de quem seria o vilão do filme solo do Batman:

27/08/2016

[Novidades] Lançamentos de setembro da editora Novo Conceito

Hey, seus lindos. Tudo bem com vocês?

Setembro está se aproximando e, com ele, os lançamentos da editora Novo Conceito. Vamos conferir?

Sete Minutos Depois da Meia-Noite

Conor é um garoto de 13 anos e está com muitos problemas na vida.
A mãe dele está muito doente, passando por tratamentos rigorosos. Os colegas da escola agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus amigos que o provocam diariamente. A avó de Conor, que não é como as outras avós, está chegando para uma longa estadia. E, além do pesadelo terrível que o faz acordar em desespero todas as noites, às 00h07 ele recebe a visita de um monstro que conta histórias sem sentido.
O monstro vive na Terra há muito tempo, é grandioso e selvagem, mas Conor não teme a aparência dele. Na verdade, ele teme o que o monstro quer, uma coisa muito frágil e perigosa. O monstro quer a VERDADE.
Baseado na ideia de Siobhan Dowd, Sete minutos depois da meia-noite é um livro em que fantasia e realidade se misturam. Ele nos fala dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para ultrapassá-los.

Lançamento: 20/09




Pokémon GO - De Treinador a Mestre

Pokémon GO, o aplicativo que se tornou febre mundial, é o maior sucesso da franquia que nos cativa há cerca de duas décadas. Um jogo fácil e muito divertido, que utiliza a realidade aumentada para levá-lo a todos os lugares atrás dos famosos monstrinhos de bolso. Com este guia você vai dominar os conceitos fundamentais de Pokémon GO, desde mecanismos básicos até recursos mais avançados, inclusive segredos e melhores estratégias para que você se torne um mestre Pokémon. Veja alguns exemplos: como configurar corretamente sua conta; uma lista completa com todos os lugares para encontrar os Pokémon com maiores CP; como capturar monstrinhos poderosos com apenas um arremesso; como subir para o nível 20 em apenas um dia, sem trapacear; como elevar o nível dos seus Pokémon em pouco tempo e com recursos mínimos; tabela com as recompensas que você ganhará até o nível 20; os melhores golpes para seus Pokémon, deixando-os mais resistentes; - Uma lista completa com o número máximo de CP que cada Pokémon pode atingir no jogo e muitas outras dicas. Comece agora mesmo a dominar o Pokémon GO! Gotta Catch 'Em All!

Lançamento: 01/09




Três Vezes Nós

Uma jovem mulher com uma bicicleta quebrada após desviar de um cão. Um homem que ela poderia facilmente ter deixado passar, sem parar, levando consigo uma vida inteira, uma vida que poderia nunca ter sido dela.
Eva Edelstein está no segundo ano do curso de Inglês na Universidade de Cambridge. Ela namora David Katz, estudante e aspirante a ator. A vida de Eva parece bem encaminhada, quando, no campus da universidade, ela conhece acidentalmente Jim Taylor, estudante frustrado de direito. Há três versões, três realidades diferentes para o futuro de Eva e Jim, dos anos 1950 até os dias atuais.
Se o nosso futuro é uma encruzilhada, gostaríamos de saber qual caminho seguir? E depois, ficaríamos felizes com a nossa escolha? Três vidas. Três histórias. Três destinos... permeados com traições e ambições, mas também com amor e arte. Três vezes nós explora a ideia de que há momentos em nossas vidas que poderiam ter sido diferentes e como pequenos fatos ou decisões que tomamos podem determinar o rumo da nossa vida para sempre.

Lançamento: 20/09

24/08/2016

[Novidades] Pokémon GO - Pokébolas reais estão sendo criadas para o game



Hey, gente. Tudo bem com vocês?

Quase todo mundo ama Pokémon, e Pokémon GO veio para realizar o sonho de muita gente que queria ser um mestre Pokémon. Bom, agora que já é possível capturar Pokémons, o que mais restava? Uma pokébola de verdade!

Bom, nossos sonhos se tornaram realidade. O grupo GamerReality está desenvolvendo a Trainer Ball. Segundo eles, os usuários poderão arremessar as pokébolas e capturar os Pokémons como treinadores reais. O projeto já possui mais de 600 apoiadores. O grupo esperava alcançar U$25 mil para iniciar o projeto, mas, até agora, eles já conseguiram arrecadar mais de U$33 mil! Detalhe, ainda faltam 36 dias para finalizar as doações.

"A bola é durável o suficiente para aguentar o impacto com o chão e é feita de uma material emborrachado macio e seguro. Você pode jogá-la! Ela se conecta ao aplicativo e você pode jogá-la como um verdadeiro treinador. Nós usamos uma lista complexa de tecnologias na criação. Mas, em síntese, é algo parecido com os poderes de detecção facial do Snapchat. Juntando isso com os dados que nós temos do acelerador, mais duas formas de detecção via Bluetooth, nós podemos criar ações no jogo baseadas na localização do foco da câmera.", disse a empresa.

A Trainer Ball também terá um dispositivo de reconhecimento de movimentos, de forma que será possível que os jogadores simplesmente a agitem para poder capturar seus Pokémons. Como se não fosse o bastante, ela também funcionará como um carregador para seu smartphone. Nós construímos uma bateria USB reserva para recarregar quase todos os tipos de celulares, informou a empresa. O produto está previsto para ser lançado em 30 de novembro.

Confira abaixo uma imagem que foi divulgada sobre a Trainer Ball:


E aí, o que acharam da notícia? Já estão jogando Pokémon GO? Qual o nível de vocês?

[Curiosidades] O Incidente de Roswell


Hey, galera! Tudo bem com vocês?

Você não acredita que estamos sozinhos no universo, né? Digo, entre vários planetas, dentro de várias galáxias inexploradas, é impossível que a Terra seja o único planeta com vida inteligente. Bom, mesmo que você acredite que não há ninguém morando lá fora, você provavelmente já ouviu ao menos falar do Incidente de Roswell, que é considerado como o incidente mais famoso sobre OVNI's.
Roswell, Novo México. 2 de julho de 1947, foi o cenário da queda de um objeto voador, isso é fato. Na noite do dia em questão, o rancheiro Mac Brazel descobriu os destroços de algo o qual ele não conseguiu identificar. Todo feliz, Brazel resolveu contar a tal descoberta para seus vizinhos. Como se contar não bastasse, ele também mostrou os detritos, o qual era semelhante ao alumínio, mas extremamente maleável e, ao mesmo tempo, muito duro. Observado de determinado ângulo, era possível ver a existência de estranhos desenhos que eram semelhantes a símbolos matemáticos. Os vizinhos disseram a Brazel que, na noite anterior, ao menos 12 OVNI'S foram vistos, e os mesmos o aconselharam a relatar o fato para as autoridades. Seguindo o conselho, Brazel relatou tudo ao xerife George Wilcox.

Cheio de boas intenções, Brazel e o xerife Wilcox dirigiram-se aos militares, e ambos ficaram um bom tempo lá, relatando o ocorrido. Quando retornou ao rancho, XABLAU! O local estava rodeado de militares, que pesquisavam a área e coletavam os detritos que o próprio Brazel havia descrito. Como se isso não bastasse, ninguém, absolutamente ninguém tinha permissão para se aproximar. Quem estava lá era o major Jesse Marcel, oficial da inteligência 509. Após isso, ele deveria levar os tais destroços para a Base de Carswell, no Texas. O caso não devia ser divulgado, claro. Imagine só o problema que daria se a população descobrisse que um OVNI caiu na Terra. Bom, foi exatamente o que houve. Em 8 de julho de 1947, o jornal Roswell Daily Record publicou: "Força Aérea Americana captura disco voador num rancho na região de Roswell". A nota só foi publicada devido à colaboração do tenente Walter Hunt. Entretanto, os superiores de Hunt disseram que a notícia era falsa, pois o tenente não sabia o que realmente estava acontecendo. No mesmo dia, a base de Fort Worth recebeu o material para análise. A explicação oficial veio logo em seguida. O tal objeto nada mais era do que um balão meteorológico com radar de alumínio e madeira. Aham, balão. Eles estavam encobrindo a verdade, e fizeram de tudo para que todos engolissem o que eles disseram ser a verdade.

O Incidente de Roswell ficou "escondido" durante alguns anos, mas mudou completamente em 1978. O físico nuclear Stanton Friedman ouviu falar do major Jesse Marcel. Ele localizou o ex-major, mas o mesmo não se lembrava da data exata do acontecido. No ano seguinte, Friedman ficou mais animado do que nunca, porque Marcel lhe disse que os militares estavam acobertando a visita de um disco voador. Antes de levar os destroços para a base, ele passou em casa, pois queria dar à família a chance de ver de perto um ser de outro planeta. Marcel também afirmou que o material levado por ele ao Texas não era o mesmo que foi fotografado na sala do general Roger Ramey. Um especialista em meteorologia foi chamado às pressas ao escritório do general e, ao chegar lá, logo de cara viu que aquilo era sim, um balão meteorológico. Porém, os destroços não apresentavam rasgos ou defeitos. Não parecia que eles haviam caído no solo. Parecia que haviam sido tirados se uma caixa e amassados.

Aqueles que estudavam sobre o Incidente de Roswell acabaram criando mais uma teoria. Eles achavam que os destroços de Roswell eram, na verdade, pedaços de um projeto conhecido como Projeto Mogul. Mogul era um projeto que usava dispositivos de escuta suspensos à altas altitudes em balões meteorológicos. Incluía um sistema de sonares e um sistema de rastreamento de radar que podia monitorar testes feitos na antiga União Soviética. Kendrick Frazier acreditava nessa teoria. Bom, suponhamos que os destroços realmente pertencessem ao Mogul. Mas e os desenhos nos destroços? Havia uma empresa de brinquedos em Manhattan. Além de brinquedos, essa empresa fabricava os tais refletores de radar, para as tropas de comunicação do Exército. A tal empresa tinha fitas de reforço com aqueles símbolos esquisitos. Por desconhecer a tal empresa, os entusiastas acreditam que Brazel logo associou o objeto como sendo de outro planeta.

Muitos entusiastas dizem que não um, mas DOIS fatos foram encobertos naquele dia: substituição dos destroços da tal nave e ocultação dos corpos dos ocupantes. Durante décadas, vários boatos diziam que não haviam apenas destroços ali, mas também corpos de alienígenas. Os corpos teriam sido levados para o Hangar 84 e mantidos em gelo seco. A teoria dos tais corpos surgiu por causa de um funerário local. O tal agente funerário alega ter recebido uma ligação de uma base militar, perguntando sobre caixões pequenos e como lidar com corpos decompostos pelo sol do deserto. Ele perguntou se havia um acidente, e os militares disseram que eram perguntas hipotéticas. Ele avistou uma amiga enfermeira, e ela pediu para que ele saísse dali, ou se encrencaria muito. Eles se encontraram novamente no dia seguinte. A enfermeira parecia extremamente abalada, e descreveu para seu amigo qual havia sido sua participação na autópsia das criaturinhas. Eles eram magricelas, braços longos e cabeças grandes. Possuíam apenas quatro dedos nas mãos. ENTRETANTO, os militares dizem que, na verdade, os corpos carbonizados de militares, mortos num acidente de avião. De acordo com os relatos, os desenhos feitos pela enfermeira realmente pareciam como extraterrestres, mas também pareciam corpos encolhidos, carbonizados e destruídos.

Até hoje, não muito foi revelado, e o Incidente de Roswell continua sendo um dos maiores mistérios da humanidade. Caso queira saber mais sobre o caso, deixo abaixo um documentário feito pelo Discovery Civilization. 

Mas e você? Qual sua opinião?


21/08/2016

[Novidades] Editora Fonzie publicará a antologia Não Leia!

Hey, seus lindos. Tudo bem com vocês?

Em sua página no Facebook, a editora Fonzie divulgou a capa MODAFOCA de Não Leia!, a próxima antologia da editora. Sério, essa capa ficou muito maravilhosa!
Abaixo, você pode conferir os requisitos para participar da antologia, que terá apenas 20 histórias.

Demônios, fantasmas, vampiros? Do que você tem medo? No livro maldito Não Leia! você encontra contos de terror e suspense de escritores que, além de narrar histórias horripilantes, te levarão às profundezas mais soturnas do seu subconsciente. Prepare-se para encarar o seu pior pesadelo. 

 – O autor deverá enviar um arquivo doc. contendo o seu conto de terror e/ou suspense de 15.000 a 20.000 caracteres com espaço para o e-mail antologia-naoleia@hotmail.com do dia 01/08/2016 a 01/10/2016. O nome do arquivo deve ser especificado com o título do conto e o nome do autor. (Ex: Legião de vampiros, de Claudio Ferreira).
– Se aprovado o conto, o autor se compromete a pagar a taxa de R$50,00 pela publicação.
– Desde já, ficam todos cientes que, caso o conto seja aprovado e o contrato seja assinado, a editora não pagará quaisquer direitos autorais, uma vez que a publicação tem como objetivo a divulgação do trabalho de novos autores.

12/08/2016

[Resenha] Joyland

Hey, gente bonita. Tudo bem com vocês?

Recentemente, adquiri o livro Joyland, do autor Stephen King. Antes de começar a leitura, pedi a opinião dos universitários, e a maioria disse que esse era um livro um tanto quanto diferente do que King está acostumado a escrever. Eu li o livro e, bom, eles estavam certos. Me identifiquei tanto com o livro que é meio complicado de explicar, mas talvez seja porque a vida do nosso querido protagonista seja um pouco (muito) parecida com a minha.

Joyland nos leva até a Carolina do Norte, em 1973, e nos apresenta a Devin Jones, um rapaz que leva uma vida um tanto quanto normal, mas bem agradável. Como ele mesmo se apresenta, um virgem de 21 anos com aspirações literárias e uma namorada, que não parece gostar tanto dele quanto ele imagina. Wendy Keegan era de Portsmouth, New Hampshire, enquanto Dev era de South Berwick, Maine. Eles começaram a sair quando ambos ingressaram na Universidade de New Hampshire, ficando juntos por dois anos. Ela trabalhava na biblioteca; ele trabalhava no refeitório. Tudo estava maravilhosamente bem (assim ele pensava), até que Wendy anunciou que ela e uma amiga haviam conseguido um emprego em Boston. Dev pensou que Wendy iria, de certa forma, ficar dividida entre ir ou não ir. Ah, como ele estava enganado. Ela aceitou de primeira, e só faltou cantar "é só isso, não tem mais jeito, acabou, boa sorte!".

Após a "perda", Dev decide recomeçar, e acaba conseguindo uma vaga de emprego no parque Joyland, na Carolina do Norte. Afinal, quem não iria querer trabalhar num lugar onde a primeira linha do anúncio era Trabalhe no paraíso?  Antes de ser propriamente contratado, Dev vai até o local, para "reconhecimento de campo", afinal, ele está entrando de cabeça num mundo totalmente novo, por causa de alguém que não o merecia. Em Joyland, ele acaba conhecendo pessoas incríveis e acolhedoras, como Madame Fortuna e Lane Hardy. Ele acaba descobrindo que o mundo dos parques de diversões tem uma linguagem própria, como chamar todos os visitantes de Bob's ou chamar uma garota bonita de graça.

Nunca é fácil sair de casa, mas o pai de Dev acaba aceitando numa boa a partida do filho. Dev aluga um quarto na pensão da Sra. Shoplaw. Devin acaba descobrindo que, como em todo e qualquer parque, Joyland também possui uma história macabra em seu passado. Podia não ser uma história de fantasmas, mas era definitivamente uma história de assassinato. Quatro anos antes, a garota Linda Gray foi morta no parque, e rezava a lenda que seu espírito ainda assombrava o local, esperando que algo - ou alguém - lhe libertasse. Uma das Garotas de Hollywood, contratadas para tirar fotos por toda a Joyland, acabou tirando fotos do possível assassino, mas tais fotos não revelavam muita coisa, e o assassino não havia sido descoberto até então. Em Joyland, havia várias equipes de funcionários, cada uma levando um nome de um cachorro diferente. Cada equipe era formada por um líder, que normalmente era um funcionário mais experiente. Foi em sua equipe que ele acabou conhecendo Erin e Tom, que viriam a ser namorados, e seus melhores amigos.

O tempo passou e Devin amadureceu, mais rápido do que ele pensou que aconteceria. O tempo de experiência em Joyland havia acabado. Tom e Erin decidiram ir embora, mas, estranhamente, Devin optou por ficar ali. Ele realmente gostava do lugar, e ainda estava intrigado com o assassinato de Linda Gray, até porque ele queria ver o tal fantasma, assim como Tom havia visto. Num dia parcialmente normal, ele vai caminhar na praia, e acaba conhecendo duas pessoas que mudariam sua vida, assim como Madame Fortuna havia lhe dito. Uma dessas pessoas é Mike, um menino com um dom especial e uma doença grave. Assim como haviam prometido um ao outro, Jonesy (como Devin passa a ser chamado pelos funcionários de Joyland), manteve contato com Tom e Erin, ainda mais depois que Erin descobriu algo inacreditável sobre o assassinato de Linda Gray (sem spoilers). Quanto mais Jonesy investiga, mais fundo ele vai, e acaba se surpreendendo ao descobrir algumas coisas.

Joyland é, de fato, um livro diferente de King. Ele é um livro fofo e, ao mesmo tempo, policial e triste, muito triste. Sério, se preparem. Ele nos ensina que podemos superar algumas perdas. Talvez nunca nos esqueçamos de algo, mas a dor acaba ficando menos intensa. Joyland também nos ensina o valor de uma verdadeira amizade, nos ensina que uma escolha precipitada pode ser uma das melhores escolhas de nossas vidas e, acima de tudo, nos ensina que é possível viver e ser feliz sem pessoas idiotas como Wendy Keegan.

Sejam bem-vindos a Joyland, o lugar onde vendemos de tudo. Principalmente diversão.

Nota:

08/08/2016

[Novidades] Selo Jovem publicará Lua de Sangue e A Legião dos Anjos Dourados

Ótimo dia para ser leitor!

Hoje, em sua página no Facebook, a editora Selo Jovem anunciou não uma, mas DUAS novas publicações! Confira a capa das obras abaixo:

Lua de Sangue

Lua de Sangue foi escrito pela autora norte-americana Cris Eliot. A autora é filha de brasileiros, mas nasceu nos Estados Unidos, e atualmente vive no Texas. Mais informações sobre a obra devem ser divulgadas em breve.

Confira o primeiro parágrafo da obra: 
"O céu estava escuro, quase não havia estrelas, e as poucas nuvens, reunidas mais ao norte, próximas às elevadas montanhas que rodeavam Avem. Em contrapartida, a lua, que parecia ter engolido o sol por sua vermelhidão, fulgurava praticamente solitária. Eu a olhava enfurecida pela traição que havia me feito ao revelar com sua luz tão descaradamente minha localização na floresta negra."

Acesse o site da autora: http://www.criseliot.com/portuguese.html












O que falar desse livro que mal conheço, mas já considero pakas? <3
O autor Nilton Trovó nos traz A Legião dos Anjos Dourados - A Volta dos Cavaleiros do Apocalipse. Além da capa, nada foi divulgado sobre a obra. Entretanto, se a história for tão boa quanto o ambiente retratado na capa é, já sei que vou amar!














Mais informações sobre ambas as obras devem ser divulgadas em breve. E aí? O que acharam das capas? Gostaram?

03/08/2016

[Curiosidades] O Incidente de Dyatlov Pass

Hey, gente bonita. Tudo bem com vocês?

Bom, a história da humanidade transborda mistérios e histórias malucas. Teorias são criadas, e algumas até fazem sentido, mas algumas histórias simplesmente não têm explicação, como o incidente de Dyatlov Pass.

2 de fevereiro de 1959. Nove esquiadores russos morreram ao norte dos montes Urais, na costa leste da montanha Kholat Syakhl (em mansi, Montanha dos Mortos). Desde então, o local é conhecido como Dyatlov Pass. Ele recebeu esse nome por causa do líder do grupo, Igor Dyatlov, e não por causa da montanha em si.
Um grupo foi formado para uma expedição ao norte dos Montes Urais, em Oblast de Sverdlovsk. Liderado por Igor Dyatlov, o grupo era formado por oito homens e duas mulheres, sendo que a maioria era estudante ou graduado do Instituto Politécnico de Ural (atualmente Universidade Técnica Estadual de Ural). O objetivo da expedição era alcançar Otorten, uma montanha localizada há 10km de onde o incidente aconteceu. A montanha era classificada como categoria III, a mais difícil entre as escalações. Entretanto, todos os integrantes do grupo eram especialistas em escalações e esqui, então aquela deveria ser uma escalada comum, certo?
Errado.
De trem, o grupo foi para Ivdel, uma cidade que fica ao centro de Oblast, onde desembarcaram em 25 de janeiro. Dali, pegaram um caminhão para Vizhai, o último assentamento inabitado ao norte, começando a marcha para Otorten no dia 27 de janeiro. No dia seguinte, Yuri Yudin, um dos integrantes, apresentou problemas de saúde e precisou voltar (sortudo). Diários e câmeras foram encontrados em seu último acampamento, o que tornou possível rastrear a rota que o grupo havia tomado.
Em 31 de janeiro, eles alcançaram a beira de um morro e se prepararam para escalá-lo. Quando se aproximaram de um vale silvestre, estocaram comida e equipamento extra. No dia seguinte, os esquiadores desceram o passo. Tudo indicava que eles planejavam atravessar o local e acampar do outro lado durante a noite seguinte. Entretanto, as condições meteorológicas não eram nada favoráveis, com tempestades de neve fortes o bastante para não enxergar um palmo à sua frente. Dessa forma, o grupo acabou se perdendo e seguindo para o oeste, em direção ao topo do Kholat Syakhl. Quando perceberam onde estavam, decidiram parar por ali mesmo e acampar.
Igor Dyatlov combinou que enviaria uma mensagem telegráfica para seu clube esportivo assim que o grupo retornasse para Vizhai, o que deveria ocorrer em 12 de fevereiro, mas não ocorreu. Alguns dias se passaram e nada da tal mensagem, mas atrasos assim eram considerados normais em expedições daquele tipo. Oito dias se passaram, e nem sinal deles. Os familiares dos viajantes exigiram uma busca, e os responsáveis pelo instituto enviaram as primeiras equipes. Em seguida, até mesmo o exército e forças policiais foram envolvidos.
O acampamento foi encontrado em 26 de fevereiro. A barraca estava arruinada, e um conjunto de pegadas seguiam até a margem de um bosque próximo dali. Tais pegadas foram cobertas pela neve após 500 metros. Sob um grande pinheiro, foi encontrado restos de uma fogueira e os primeiros dois corpos, os quais estavam usando apenas as roupas de baixo. A temperatura era de -30º, o que é considerado QUENTE naquela época, já que poucos lugares são mais frios que o inverno russo. Entre o pinheiro e o acampamento foram encontrados outros três corpos. A posição deles indicava que eles estariam tentando voltar para as barracas. Eles foram encontrados separadamente: 300, 480 e 630 metros do pinheiro. A busca pelos quatro outros integrantes levou dois meses. Eles foram encontrados no dia 4 de maio, sob 4 metros de neve.
Mas não para por aí. Senta que lá vem a história. Se acha que já é estranho, se prepare para os fatos abaixo:

1 - As barracas foram rasgadas de dentro para fora, como se eles estivessem tentando fugir de algo que adentrara o local;
2 - Eles simplesmente fugiram, sem pegar suprimentos, nem nada. Pelo amor de Deus, como que tá -30º e alguém sai correndo pela neve sem nem ao menos se agasalhar?
3 - Como citado acima, após 500 metros, as pegadas desapareceram. Ou eles decidiram brincar de Tarzan ou XABLAU, foram abduzidos;
4 - Alguns corpos tiveram seus crânios esmagados, assim com as costelas. E não, não tinha nenhum sinal de luta. Era como se a pancada tivesse ocorrido de dentro para fora;
5 - Alguns corpos aparentavam sinais de envelhecimento precoce, e TODOS apresentavam níveis gritantes de radiação;
6 - A língua de uma das garotas foi arrancada.

Não houveram testemunhas, claro, então não faltaram teorias e especulações do que poderia ter ocorrido. Na época, investigadores afirmaram que os esquiadores rasgaram suas barracas de dentro para fora, fugindo a pé debaixo de uma forte nevasca. Mesmo sem sinais de luta, duas das vítimas tiveram seus crânios perfurados. Alguns apresentavam sinais de envelhecimento precoce. Ah, os sinais de radiação... As forças soviéticas determinaram que uma força incontrolável e desconhecida foi a causadora de tudo. Esquiadores foram terminantemente proibidos de acessar o local durante três anos após o incidente. Uma das teorias sugere que tudo isso foi obra de testes militares que os russos estavam fazendo. Espero que seja só uma teoria mesmo.

Em 1991, um avião caiu ali. Sabe quantas pessoas morreram? NOVE. Sabe o por quê dessa paixão por número nove? Nem eu, e acho que não quero descobrir.

Em 2013, foi lançado um filme chamado O Mistério da Passagem da Morte. Eu já assisti o filme e, como opinião pessoal, gostei bastante. Não é o melhor filme do mundo, mas sabe aquelas histórias que explodem a cabeça de quem tá assistindo? É exatamente assim. Há algumas cenas - principalmente a final - em que você vai dizer: vish, deu ruim. Espero que o final do filme seja apenas ficção mesmo. Se for algo real...


02/08/2016

[Resenha] Caçadores de Almas - Segredos e Maldições

Hey, gente bonita. Tudo bem com vocês? Como foram as férias? Podem até achar esquisito, mas nunca estive tão feliz por elas terem acabado. É uma longa história, então vamos ao que interessa.

Lembram que eu havia dito que era parceiro da autora Ana Beatriz Brandão? Pois bem, eu tive o imenso prazer de ler Caçadores de Almas - Segredos e Maldições, e CARACA, que livro é esse?

Caçadores de Almas nos apresenta à Serena Devens Stamel, uma garota inteligente pra caramba que não possui muitos amigos, ou quase nenhum amigo, além de Briana, sua melhor amiga, e Alex, seu namorado. Serena vivia com seus pais, sua irmã mais nova, Cassie, e seu irmão mais velho, Michael. Eles moravam numa cidade pequena, onde todo mundo conhecia todo mundo e, mesmo assim, não foi o bastante para que ela conseguisse se socializar. Serena sentia-se como se vivesse num mundo totalmente diferente do qual deveria viver, e deixa bem claro o quanto quer sair desse mundo. Ela era ruiva, mesmo vindo de uma família onde todos possuíam cabelos claros. Ela era estudiosa, muito estudiosa, e era cética a respeito daquilo que não podia comprovar. Ela não botava fé em filmes de exorcismos, por exemplo.
ENTRETANTO, isso mudou. A garota ruiva passou a receber mensagens, as quais diziam apenas Estamos observando você. Qual é. Isso deixa até os mais céticos com uma pulga atrás da orelha. Como se não bastasse, ela passa a ser perseguida, e um evento um tanto quanto trágico (sem spoilers) foi o bastante para virar seu mundo de cabeça para baixo, mas não do jeito que ela queria. Foi esse o evento que lhe apresentou aos Caçadores de Almas. Eles são responsáveis por, bom, caçar almas. Mas não qualquer tipo de almas, só as almas ruins, que não deveriam ter saído do Inferno. Os Caçadores são unidos por um juramento, eles se tratam como irmãos e protegem uns aos outros, Há um, porém, que se destaca entre eles: Dorian. Dorian é o líder dos Caçadores de Almas e, ao mesmo tempo, não é. Ele está ali há mais tempo que os outros e, por causa de uma suposta maldição, ele não pronuncia uma palavra sequer. De certa forma, cada um pode fazer o que der na telha, desde que Dorian concorde. Por mais que ele não pronuncie uma palavra sequer, Serena sente-se atraída por ele. Ela simplesmente não se controla perto dele, começa a tagarelar sem parar, e a própria personagem acha isso engraçado.
Com o decorrer dos fatos, e vendo que não há como voltar para sua vida antiga, nossa protagonista ruiva toma uma decisão que mudará sua vida para sempre, e essa decisão te faz dizer:


Você não odeia a decisão dela, até porque faz muito sentido. De acordo com o rumo da história, você espera que tal coisa vá realmente acontecer, mas você espera que vá acontecer por decisão mútua, e não por decisão da própria Serena. Mas também leve em consideração o lado da ruiva. Ela mesma se considerava uma covarde, por nunca ter enfrentado seus medos, então vê aí uma tentativa de se tornar mais, digamos, badass.
É isso mesmo. O livro tem romance, sim, mas muitas cabeças vão rolar. Literalmente. Prepare-se para ver sangue, muito sangue. Há várias lutas no livro, e nossa querida Ana descreveu cada uma delas com perfeição. Você sente como se fosse um dos Caçadores de Almas e estivesse realmente participando daquela batalha.
Aliás, parabéns pra você, Ana. Parabéns por ter criado uma mitologia incrível para os Caçadores, e por cada pesquisa feita para o livro. Como eu disse, Serena é uma personagem muito inteligente, e ela sabe coisas que nem eu sabia. Fico me perguntando se é algo pelo qual a autora se interessa ou se ela se dedicou a pesquisar tudo isso apenas para criar uma personagem tão marcante quanto nossa querida ruiva.
Não pense que, por não falar, Dorian é um péssimo líder. Ele destrói todo e qualquer um que se intrometer em seu caminho, e consegue botar medo até mesmo em demônios poderosos, e os Caçadores de Almas irão onde ele for, porque confiam cegamente nele. Quando descobrimos um pouco mais sobre sua maldição, sabemos o que motivou o personagem a se tornar aquilo que ele se tornou.
O livro tem um pouco de tudo. É romântico, engraçado e tem até mesmo doses de terror. A mitologia criada pela autora pode ser muito bem explorada em outros exemplares, ou até mesmo contos curtos, explicando como cada um deles se aliou ao grupo. Ok, parei com as ideias haha. Mas sério, o livro é muito amorzinho, e não tem como não gostar dele. Ele é curto, e a autora escreve de uma forma fácil, fazendo com que nos identifiquemos com ao menos um dos personagens. Ver os Caçadores reunidos, lutando uns pelos outros, nos mostra como é bom saber o significado de amizade verdadeira, saber que temos alguém em quem possamos confiar. Não só um colega, mas um amigo que pode ser chamado de irmão. Alguém que você ame e que ame você. Alguém que sempre estará lá por você, não importa o que aconteça.
Se eu quero mais livros sobre os Caçadores? Claro que quero!

Obs 1: Manda ver, Dorian!
Obs 2: Não se apegue à nenhum personagem. Conselho de amigo.
Obs 3: Temos a participação de uma personagem que estará num outro livro de um outro autor. Só não posso contar quem é :v
Obs 4: Prepare-se psicologicamente para o final do livro. Sabe por quê? Vai dar merda.

Nota: