06/04/2016

[Resenha] O Fotógrafo

Hey, gente linda. Tudo bem com vocês?

Hoje trago para vocês a resenha de O Fotógrafo, da autora Jéssica Milato, e que foi publicado pelo Editorial Hope.
O Fotógrafo nos coloca na pele de Kiara Ferraz, uma jornalista recém-formada que, bom, já se ferrou um pouquinho na vida.
Logo no prólogo, descobrimos que a nossa protagonista se meteu numa furada, mas não sabemos o desfecho disso antes do fim do livro.
A história começa, e acabamos por saber que o pai de Kiara foi assassinado, mas também só vamos descobrir isso próximo ao fim da história. Desde a morte de seu pai, e desde o incidente que acontece no prólogo do livro, a garota acabou fechando-se para o mundo, focando-se apenas em cuidar de sua mãe, sua amizade com Pâmela e conseguir um bom emprego. Uma oportunidade surge, e a garota não perde tempo em candidatar-se. Mesmo sendo uma escolha improvável, Kiara é a escolhida para ser a nova jornalista do Tribuna Livre. Ponto positivo? Ela teria sua própria sala (qual é, isso deve ser legal pra cacete). Ponto negativo? Teria de trabalhar com Adam Rodriguez.
Adam era o fotógrafo do jornal, e junto com seu amigo Wendel, ele comanda o lugar. Adam não é o melhor tipo de pessoa, e não está muito longe de ser a pior. Ele é o tipo de homem que faz qualquer coisa para conseguir o que quer, e doa a quem doer. Adam odeia Kiara, e odeia o fato de saber que será o tutor dela no jornal, enquanto ela se adapta ao ambiente de trabalho. Ela também não o suporta, e faz de tudo para ficar o mais longe possível dele.
Uma oportunidade de "matéria perfeita" surge em São Paulo (a história se passa em Campinas). Wendel, sabendo o potencial da oportunidade, determina que Kiara vá fazer tal matéria, pois gosta muito da garota, e quer que ela seja uma jornalista de destaque. Porém, Kiara não vai sozinha. A matéria será realizada num local perigoso, então Adam irá com ela.
Demora um pouco e, de uma forma um tanto quanto esquisita, eles acabam se entendendo, e então vamos sabendo um pouco mais sobre o passado de cada um, incluindo sobre o "incidente do prólogo".
A autora amarra a história de uma maneira muito fácil. A leitura flui, e um ponto positivo é que algumas cenas são contadas por mais de um ponto de vista, fazendo-nos sentir o que cada personagem estava sentindo naquele momento. As sub-tramas com os personagens secundários também são muito boas e, aos poucos, se amarram na história principal.
O Fotógrafo é um livro muito bom, e há cenas em que a sua reação será essa aqui:



Obs: Mal posso esperar por A Jornalista,



Nota: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário