28/03/2016

[Resenha] It - A Coisa

Hey, gente. Tudo bem com vocês?

Demorou, mas eu li! MUAHAUHAUHA

It - A Coisa foi um dos primeiros livros que li de Stephen King. É, decidi começar logo com um dos grandões (inclua A Dança da Morte nessa lista de grandões), que é considerado uma de suas melhores obras. Foi como uma vitória pessoal, por assim dizer. Não porque a história é ruim, longe disso, mas porque o livro é realmente muito longo (1102 páginas). Demorei um pouco, é verdade, mas valeu a pena.
O livro é um sucesso absoluto. Mesmo após tanto tempo, as vendas continuam altas e, como se não bastasse, irá ganhar outra adaptação para as telonas.


It - A Coisa nos leva à Derry, uma cidadezinha no Maine, onde misteriosas mortes e desaparecimentos acabam ocorrendo a cada 27 anos. Há boatos de que uma coisa reside na cidade, e se alimenta das crianças. É tiro e queda. Passou os vinte e sete anos, crianças vão desaparecer.

A Coisa, ou Pennywise, assume a forma de seu maior medo. Porém, na maioria das vezes, ela assume a forma de um palhaço. Qual criança não se encanta com um palhaço segurando vários balões coloridos? E é aí que tá o problema. Uma criança vê um palhaço com um balão e faz o quê? Segue-o.
Acima de tudo, It nos mostra como uma amizade pode ser forte o bastante para enfrentar qualquer problema, independente do que esse problema seja. Em 1958, por causa da Coisa, sete crianças (Ben, Beverly, Richie, Eddie, Stan, Bill e Mike) acabam se conhecendo, e decidem unir forças para acabar com essa entidade maligna que vem matando as crianças daquela cidade. 
Vinte e sete anos se passaram, e cada um dos sete jovens (exceto Mike) já não moravam mais em Derry. Eles haviam crescido, e cada um havia tocado sua vida pra frente. E isso deu muito certo, pois cada um se deu muito bem com a carreira que decidiu levar. Entretanto, uma ligação faz com que eles se lembrem do pacto que haviam feito anos atrás, e isso faz com que eles voltem para Derry, para matar a Coisa de uma vez por todas. 
O livro é narrado em duas partes, durante a infância dos personagens e durante sua fase adulta, vinte e sete anos depois. Quando crianças, vemos exatamente os problemas que uma criança enfrenta em sua infância. Problemas familiares, bullying e etc. Quando eles se conhecem, cada um acaba aceitando as diferenças um do outro, e isso só serviu para fortalecer ainda mais o Clube dos Otários, como eles se chamavam. Cada um deles havia sido rejeitado, ou não possuía mais ninguém em quem confiar. Queria dizer que foi por acaso, mas há uma razão maior para eles terem se conhecido. Durante o reencontro, antes que pudessem, de fato, enfrentar a Coisa, eles conversam e tentam relembrar o passado, pois já não se lembram do que eles fizeram para quase matar a Coisa da primeira vez, e é nesse meio tempo que acabamos percebendo que os adultos em pouco se parecem com quem foram na infância.
Mesmo o livro sendo grande, Stephen King o escreveu de uma forma que ele não ficasse cansativo. Você vai lê-lo sem se importar com seu tamanho. A história não se arrasta. Acabamos por descobrir, em detalhes, a vida de cada personagem. Não é algo superficial, onde mocinhos enfrentam o vilão. Acompanhamos a infância e a vida adulta. Vimos cada um desses personagens crescerem e, querendo ou não, é fácil se apegar à eles. E não, não é só terror. Acima de tudo, It fala sobre amizade, e como ela pode nos ajudar a enfrentar nossos medos. A história trata mais de amizade do que de qualquer outra coisa, na verdade. Isso é ruim? Claro que não. Só serve para nos mostrar que, independente do problema, é bom ter alguém que o enfrente conosco. It fala de confiança, problemas pessoais, e como podemos reagir ao que acontece de ruim em nossas vidas.
Como citado acima, não é só terror, mas o autor sabe exatamente o que fazer quando é necessário escrever algo que faça arrepiar cada fio de cabelo. As aparições de Pennywise, seus diálogos, seus jogos psicológicos. Há quem tenha ficado um bom tempo sem dormir, tentando esquecer esse palhaço maldito. Pennywise é um vilão tão memorável que, mesmo após tanto tempo, ainda é figurinha carimbada em várias listas de melhores vilões.
O livro é um misto de amor e ódio pois, a qualquer momento, nosso personagem favorito pode morrer, e da forma mais brutal possível. King demorou cerca de quatro anos para escrever o livro, mas valeu a pena, pois criou algo que eu chamaria de Tesouro da Literatura.

E você, vai querer um balão?


         

                                                   



4 comentários:

  1. Amei o selo de qualidade Jess. *o*
    Não tive a oportunidade de ler nenhum livro do Stephen King ainda não, mas sou doida para ler Sob A Redoma. ♥
    Bjs

    www.jayhanadenardi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, você deveria ler logo, menina. Não vai se arrepender haha
      Ainda não li Sob a Redoma. Talvez um dia :3

      Excluir
  2. Hahaha adorei o selo de qualidade! Ótima resenha, amo Stephen King e ainda não li It - A Coisa, parece ser incrível!


    http://we-bluesky.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado haha
      Você não está errada. O livro é realmente incrível *--*

      Excluir